DA RAIVA AO AMOR

por Luis Felipe Santos de Oliveira
6ºB

Título: Harry Potter e o prisioneiro de Azkaban
Autor: JK Rowling
Editora: Rocco
318 p.

O clima em Hogwarts, escola de magia e bruxaria é tenso. O prisioneiro da fortaleza de Azkaban Sirius Black está a solta, e perseguindo Harry Potter, aluno de Hogwarts. Harry guardava raiva e rancor de Sirius, pois achava que ele havia contado para o senhor das trevas, lorde Voldemort onde seus pais que estavam sendo caçados por tal haviam se escondido, causando a morte dos dois. Porém Potter não sabia que Black era seu padrinho e não era ele que havia fofocado, e eles acabaram se tornando amigos. JK Rowling apresenta de maneira reflexiva essa amizade confusa.

Na verdade os poucos momentos passados entre eles são divididos entre a raiva e a amizade. Por exemplo quando Harry encontra pela primeira vez com Sirius ainda com muita raiva: “Harry esquecera a magia – esquecera que era baixo e magricela e tinha treze anos, enquanto Black era um homem alto e adulto -, ele só sabia que queria ferir Black da maneira mais horrível que pudesse e não se importava se fosse ferido também…” ou em momentos do livro em que os dois já estão amigos como quando Harry acaba de aceitar o pedido de ir morar com Black: “O rosto ossudo de Black se abriu no primeiro sorriso verdadeiro que Harry já o tinha visto dar” a amizade dos dois vai ficando cada vez mais confusa pelo fato de que no começo eles não se entendiam, mas acabaram ficando muito amigos.

Antes de se entenderem Harry odiava Sirius, acreditava em qualquer mentira que o contasse, na verdade Potter o julgava por ser um prisioneiro fugitivo, por suas aparências. Como quando eles se encontraram pela primeira vez e Harry discutiu com ele, falou de seus pais e jogou em sua cara que era um preso. Depois Sirius começou a desmentir tudo e Harry viu que nada daquilo era verdade. O texto nos mostra que não devemos julgar as coisas pelas aparências, fazendo com que o livro fique reflexivo.

A linguagem cotidiana do livro é realmente surpreendente, pois a raiva é a inimiga do amor maisisso não significa que pessoas que se odeiam não podem se amar um dia e JK Rowling mostra isso com familiares. Um padrinho e um afilhado deixando a obra ainda mais interessante e o leitor envolvido com o livro.

CASA DE SEGREDOS

Por: Breno Mello Sotovia
6ºB


Título: Casa de Segredos
Autor: Chris Columbus e  Ned Vizzini
Editora: Galera Junior
348 P.

Essa história trata de um mistério: 3 meninos normais que sofrem bulling e acham uma casa cheia de segredos. Na casa há mostros e uma coisa muito importante que é um baú que tem coisas que podem acontecer com esses meninos.

O livro trata de muito mistério com 3 crianças que sofriam bullying na escola de San Fransisco, elas descobrem uma casa, se eles tentarem entrarem na casa, morrem. É isso que acontece, nunca se arrisque.

Essas três crianças não desistem de achar o que querem, elas lutam muito para conseguir alguma coisa na vida, porque é assim que deve ser a vida e também a vida de quem sofre com o bullying.

Essa história é linda e muito emocionante.

LIVRO DIVERTIDO PARA ENSINAR CRIANÇAS, JOVENS E ADULTOS

por Francisco Fernandez Alves da Silva
6ºB

Título do Livro: As aventuras de Pinóquio
Autor: Carlo Collodi
Ilustrador: Alex Cerveny
Editora: Cosaf Naify
360 p.

No livro “As aventuras de Pinóquio”, a história se passa em uma pequena cidade, aonde Geppetto, um simples carpinteiro recebe um pedaço de tronco que fala. Depois de ter feito este pedaço de madeira virar um boneco, este cria vida, e Geppetto o chama de Pinóquio. Este boneco participa de uma grande aventura cheia de trapalhadas, e tem o sonho de se tornar uma criança de verdade. Esta história alegórica e criativa vai fazer o leitor aprender muitas lições de vida, enquanto se diverte com o sapeca, preguiçoso e engraçado Pinóquio.

No livro, o autor faz nos lembrar de que nós muitas vezes passamos por grandes experiências ruins, que requerem muito esforço para superar, ou que causam muito sofrimento. Assim Carlo Collodi cria Pinóquio, o boneco de madeira malcriado, sapeca e desobediente, e mesmo com estes vícios, ele aprende grandes lições de vida, sofrendo muito nas confusões das quais ele se esforça para superar. Um exemplo de confusão que acontece com o pobre Pinóquio é quando ele vai no País dos Folguedos (um lugar onde crianças folgadas e preguiçosas se divertem, sem escola e obrigações), depois de um tempo ele percebe que, por ir a este lugar, crescem duas orelhas de asno, fazendo ele concluir  que estaria virando um burro.

Carlo Collodi também nos diverte porque consegue fazer com que seu livro seja alvo de ambos adultos e crianças. Ele seria alvo das crianças por causa de sua criatividade, que faz a história ser um ótimo divertimento durante a leitura, e a alegoria que existe em quase todo o livro seria a razão dele também ser alvo dos adultos. A criatividade pode ser vista no decorrer do livro inteiro, existem muitos fatos criativos: Desde Pinóquio, um simples boneco de madeira, ter vida, até este boneco ter um fiel companheiro, que seria um sábio grilo que fala. A alegoria vem de o autor pegar grandes lições de vida (que uma criança teria preguiça só ouvindo de um adulto), e transformá-los em um simples conto infantil, que é umas das melhores opções para ensinar alguma coisa pra uma criança de um jeito divertido.

A incrivelmente interessante e detalhada história criada pelo grande Carlo Collodi (apresentando temas que aparentam ser lições de vida de ambos jeitos criativos e alegóricos) acompanhada da rica narrativa, mais os belos e simples desenhos de gravura feitos pelo Alex Cerveny, faz um conto belíssimo (que seria marcado na história dos grandes contos infantis). E então você ler com seus familiares, amigos de qualquer idade, ou até sozinho (não depende o jeito, pois de qualquer modo você vai se divertir). E se você tem uma criança malcriada, que não gosta de obedecer você, e muito menos quer aprender coisas importantes (que seriam citadas neste interessante livro), então  de este livro para ele ao mesmo tempo se divertir, dar risadas, e aprender a seu uma criança um pouco mais comportada.

 

UM ENREDO AMIGÁVEL PARA EU SER EU MESMO

por: Carollina Lodder
6ºB

Título: As vantagens de ser invisível
Autor: Stephan Chbosky
Editora: Rocco jovens leitores
223 p.

De um jeito amigável, Stephan Chbosky, conta a história de um garoto chamado Charlie que descobre as vantagens de ser quem ele é, ou seja, ser invisível.

Assim que você abre o livro, Charlie é simpático com o seu amigo, todas as cartas acabam em “Com amor, Charlie.” e começam “Querido amigo,…” ou quando ele se desculpa por não ter escrito cartas “Desculpe por não ter escrito cartas para você há duas semanas, mas estava tentando ‘participar’ como Bill disse” dessa forma nos sentimos, vamos dizer, mais confortáveis durante a leitura.

O estilo de música que Sam e Patrick, os melhores amigos de Charlie, mostraram a ele, acabou refletindo muito em sua personalidade e acabou o transformando em uma pessoa mais confiante “E por fim ele encontrou esta canção realmente maravilhosa sobre um cara, e nós ouvimos em silêncio… Porque a música era ótima e porque estávamos prestando muita atenção nela.” Ele realmente consegue se familiar com a música e dessa forma, percebemos como isso mudou ele.

Esse livro é para leitores que não desistem do livro na primeira folha, pois esse é um livro que você só vai o amar quando chegar à última página e você vai ter o melhor sentimento da sua vida, você vai se sentir infinito.

A CONQUISTA

por Sabrina Simões Hrosz
6ºB
Título do livro: “Em Chamas”
Autor: Suzanne Collins
Editora: Rocco
416 p.

O livro “Em chamas” foi um pleno sucesso. Pois a Suzanne Collins mais uma vez agrada o leitor com seu jeito de descrever tudo que está ao seu redor, de forma que dê para “ver” a cena na sua imaginação.

Quando o leitor lê a primeira página ele continua lendo para achar o que a Suzanne Collins faz de melhor, ela faz o leitor se sentir com prazer de ficar sentado sem fazer nada exceto ler os livros dela. Pois ela consegue detalhar bem. Quando alguém lê esse alguém entra na historia fazendo com que tudo isso acontece.  “A casa estava escura e ela só conseguia ver os olhos brilhantes e amarelos do gato. Nada mais era visiviel pela causa de escuridão total. Ela se virou e se virou até que viu que não, não era a casa dela nem os olhos do gato da irmã dela.” Neste trecho mostra que a Suzanne consegue fazer as cenas do livro ganharem vida, e ela consegue fazer alguém que parou de ler começar a ler de novo.

Quando a Suzanne Collins quer mostrar que a historia tem uma moral ela faz de tudo para mostrar isso, ela faz vários livros de varias historias. Ela não deixa um sequer livro no meio. Pois parece que a Suzanne não consegue imaginar os leitores famintos de curiosidade para saber o que sera que aconteceu depois….

A Suzanne Collins tenta agradar o leitor com suas palavras magnificas, com elas a Suzanne Collins “hipnotiza” o leitor para “entrar” no livro e viver a historia que esta sendo contada. Quando ela faz isso, o leitor imagina as cenas com os os próprios olhos. Como se o leitor estivesse dentro do livro vivendo a historia e como se o leitor fosse um dos personagens. “Ela ficou em choque por não ver o Peeta la. Aquele lugar escuro, e assustador com a aquela arvore que atrai raios… Ela gritava o nome dele mas nada. Ela caiu no chão de peito, pelo relâmpago, o chão estava cheia de folhas secas e tinha vários gravetos pretos pelo relâmpago e tinha o fio de metal embaixo dela, aquele fio dava arrepios nela, pois ela podia ficar em choque a qualquer momento, no lado dela estava a arma preta que ela mais queria ter visto, o arco e flecha.” Neste trecho mostra como o leitor pode ficar hipnotizado pelo livro a qualquer momento.

A autora conseguiu fazer um “xeque-mate” com esse livro. Pois o livro conquistou vários leitores a nunca desistir do que você quer, como váriosleitores gostam de aventura e suspense este livro é ideal para você, do que você deseja para ser. Ela conseguiu mudar vidas de varias pessoas e conseguiu mostrar que a aventura ainda não acabou. E para saber mais sobre o livro… Porque você não o lê ele?

HISTÓRIA POLICIAL COM MUITO MISTÉRIO

por Leo Montagner
6ºB
Título: A Droga da Obediência
Autor: Pedro Bandeira
Editora: Moderna
112 p.

Magrí, Calu, Miguel, Crânio, e o mais novo Kara, Chumbinho, se juntam com a polícia para descobrir um estranho caso de uma misteriosa distribuidora internacional de drogas, drogando alunos de escolas do Brasil e mandando eles venderem as drogas pela escola- eles obedecem, graças ao efeito da droga. O autor conta um romance policial com muito mistério e de forma frenética, intensa e pesada.

“A Droga da Obediência” é um livro com muito mistério, deixando os astutos personagens tentando resolver um mistério enquanto outros aparecem para os deixar mais confusos, como no trecho: ” ‘Conte para mim, dona Rosa. Como são esses riscos e pingos?’ ‘Em cima tem um risco, um pingo, outro risco…’ ‘Um K! E depois, dona Rosa?’ ‘Tem um risco, um pingo, outro pingo, outro pingo, outro pingo…’ ‘Um B!’ ‘Embaixo tem um risco, um pingo, um risco, um pingo…’ ‘C de Chumbinho!’ (…) ‘K-B-C. Karas-Bino-Chumbinho. É isso! O Chumbinho tentou nos avisar que ele e Bino caíram na armadilha dos bandidos!’. Este trecho tem mistério pois o garoto passa a mensagem em código Morse, resolvendo um mistério e criando outro

O mistério deixa o livro frenético, seu ritmo é intenso, com episódios pesados, como se mostra no trecho: “Bronca abriu a porta do dormitório e enfiou-se por um longo corredor. Chumbinho viu quando Bronca derrubou um funcionário que tentava lhe barrar o caminho. O sujeito caiu, mas, de joelhos, sacou um revólver e apontou para as costas do macacão azul, onde estava bordado D.O. 19. Um clarão, e o corpo do Bronca foi arremessado para frente, como se tivesse tropeçado”. Essa parte é um pouco pesada pois não é muito bonita de ler, porque um garoto morre em um trecho meio intenso.

O livro é muito bom, empolgante e dá impulso para o leitor ler sem conseguir parar. Recomendado para quem ama mistérios e histórias policiais.

AS EMOÇÕES DO PASSADO DE ANNE FRANK

por Martina Tenório Gonçalves
6ºB

Título: O diário de Anne Frank
Autor: Anne Frank
Editora: Record
310 p.

O livro “O diário de Anne Frank”, da própria Anne Frank, narra de maneira inovadora, delicada e envolvente sua história. Uma aventura dramática, que muitas famílias judias viveram, mas essa garota especial nos deu a oportunidade de conhecer mais essa realidade. O livro apresenta o tema de descriminação (pelo fato de serem judeus), de maneira reflexiva.

Anne precisou se esconder com famílias judias em um anexo secreto no escritório onde seu pai trabalhava. Quanto mais isolada com essas famílias, porque os nazistas foram cada vez mais os perseguindo, senti a mesma emoção, angustia , e sentimentos de uma garota qualquer, e foi a que Anne sentiu, isso é o que mais marcou nessa leitura. Percebemos isso no seguinte trecho:

“Veja só, foi isso que você virou. Está rodeada por opiniões negativas, olhem desanimados e rostos zombeteiros, pessoas que não gostam de você, e tudo porque não escuta o conselho de sua metade melhor. Acredite, eu gostaria de escutar, mas não dá certo, porque se eu ficar quieta e séria, todo mundo acha que estou representando outro papel e tenho de me salvar com uma piada, e nem estou falando de minha própria família, que presume que devo estar doente, e me critica por estar mal-humorada, até que eu não aguento mais, porque quando todo mundo começa a me chatear, fico irritada, e depois triste, a parte má do lado de fora e a boa do lado de dentro, e tento achar um modo de me transformar no que gostaria de ser e no que poderia ser se… se não houvesse mais ninguém no mundo.”

Sua Anne M.Frank

Esse trecho faz sentir a sensação típica de uma garota, mas em uma situação diferente do cotidiano de alguém. Outra coisa que marca o leitor nesse livro, foi que ao passar do tempo Anne foi mudando seu pensamento sobre sua situação, e essa transição foi muito importante, pois foram anos que se passaram e Anne foi acrescentando coisas em trechos que havia escrito quando ainda era pequena, mas não coisas boas. É uma situação tão surreal para o ser humano, foi difícil aceitar tudo o que estava acontecendo, e é possível perceber isso a partir de suas falas. Vemos isso no seguinte trecho:

‘COMENTÁRIO ACRESCENTADO POR ANNE EM 28 DE SETEMBRO EM 1942:

“Não poder sair me deixa mais chateada do que posso dizer, e me sinto aterrorizada com a possibilidade de nosso esconderijo ser descoberto e sermos mortos a tiros. Esta, claro, é uma perspectiva muito desanimadora.” 

(Anne acrescentou esse comentário nessa página do dia 11 de Julho de 1942).

Esse comentário de Anne foi muito importante, porque no começo ela estava muito otimista, e este retorno nesse trecho do livro, disse de sua situação que não era boa. Essa situação também me deixou comovida, pois estava vivendo uma realidade surreal na visão do ser humano.

Essa linda obra, de leitura dramática e intensa com a narrativa de uma adolescente, Anne Frank, que retrata seus momentos mais difíceis deixando os leitores comovido. É uma excelente leitura para jovens e adultos, emocionando e deixando sua marca em cada leitor.

AS AVENTURAS MARAVILHOSAS DE JUCA E CHICO

por Felipe Borger Ramos
6ºB


Título: Juca e Chico
Autor: Wilhelm Busch
Editora: Pulo do gato
115 p.

Na obra “Juca e Chico”, o autor descreve várias aventuras dos dois colégas, como quando eles roubam o frango assado  de uma pobre senhora, o trigo de um plebeu, e é claro, várias outras. Nesse texto poético, Wilhelm Busch conta a história de dois meninos que juntos praticam várias travessuras.

Durante a obra, as conversas entre os dois garotos é simples mas ao mesmo tempo bucólica. “Companheiro! Sta cheirando a frango assado… Subamos para o telhado”, disse Juca ao amigo, planejando roubar a comida de uma pobre família.

No final do livro, o narrador é poético, fala de modo lírico, como ficou claro durante o livro que é tipico. “Quando se soube a notícia, Não abalou a polícia, Ninguém os dois lamentou, Na vila ninguém chorou.”, foi o que disse o mesmo.Esse trecho nos mostra muito claramente o tipo de linguagem desse livro.

Apesar de ser uma história infantil, é muito poéticamente divina, com seu texto celestial, sublime e incrivelmente gratificante para o leitor, Recomendado!!! Dá próxima vez que você for para uma livraria ou biblioteca não se esqueça de ler as aventuras maravilhosas de Juca e Chico.

DIÁRIO DE UM BANANA: DIAS DE CÃO

por Murilo Doracio Gonçalves
6ºB

Título: Diário de um banana dias de cão
Autor: Jeff Kiney
Editora: V&R
218 p.

“Diário de um banana: dias de cão” , do autor Jeff Kiney, fala sobre bullying e preconceito de maneira cômica, com um personagem chamado Greg que vive várias aventuras com seu amigo Roley.

Greg, em sua escola, sempre queria ser o popular, se enturmando com os valentões ou tentando ficar com as meninas mais bonitas. Mas sempre se dava mal, ficava de castigo ou ia para diretoria da escola. No fim de tudo isso sempre passava, ficava tudo bem com os amigos e com a família.  Percebos isso quando Greg leva um soco na cara e é chamado de” bicha”, para ele isso é normal.

Jeff Keney conseguiu o público das crianças através das suas maneiras engraçadas de tratar o bulyng como uma coisa normal, isso faz as crianças se atrairem mais pelo livro.

Esse e um livro muito bom para o público infantil pois jeef keney consegue tratar do bulyng e do preconceito de maneira cômica , e isso atrai as crianças.

CONTOS DE MEDO

por Isabel Trovato Guida
6ºB

Título: Contos de enganar a morte
Autor: Ricardo Azevedo
Editora: Ática
56 p.

No livro “contos de enganar a morte”, o autor Ricardo Azevedo fala de um jeito divertido e engraçado sobre um assunto que todo mundo tem medo…A morte. Nas quatro histórias do livro os personagens tentam enganar a morte na hora que ela chega. Eles conseguem por um tempo, mas depois de um tempo acabam batendo as botas.

No conto “O homem que enxergava a morte”, o homem pede mais um tempo de vida para ela, pois queria rezar o pai nosso antes de morrer. A morte aceitou, mas o homem a enganou, pois demorou anos para terminar a reza. Mas uma hora ele acaba de rezar e morre.

Este livro nos faz pensar que a morte faz parte da vida, como trecho que diz: “Já estou acostumada a ser mal tratada. Por onde ando as pessoas fogem de mim, falam mal de mim e me xingam.” Essa frase da morte esta querendo nos passar que ela não faz mais que cumprir sua obrigação, se ninguém mais mais morresse no mundo não iria sobrar lugar para as pessoas que iam nascer.