Como ajudar a criança a lidar com a morte

luto

Prezados leitores,

Escolhemos abrir espaço em nosso blog para compartilhar um texto que aborda tema que nossa cultura tem muitas dificuldades em enfrentar: a morte.

Entendemos ser fundamental as instituições escolares pensarem e planejarem ações que tragam a conversa sobre perdas, de diversas ordens, inclusive as de situações extremas como a morte, para que possamos tratar de forma mais franca com nossas equipes, famílias e crianças.

Contamos com especialistas que sempre trazem luz para o enfrentamento dos momentos mais difíceis e pesarosos. Compartilhamos o texto da psicóloga Luciana Mazorra Santos, do Instituto de Psicologia 4 Estações, que aborda de forma clara e acolhedora a necessária conversa com as crianças.

Como ajudar a criança a lidar com a morte

Por Dra. Luciana Mazorra

Contando para a criança

Quando uma morte ocorre, alguém com quem a criança tenha uma história de confiança e envolvimento deve contar para ela. Isso a assegura de que ela não está sozinha e de que há outras pessoas para lhe prover proteção e cuidado. Esta informação deve ser dada imediatamente, em linguagem simples e direta.

Você diz: “O vovô morreu”. Pode ser difícil de dizer, especialmente sem lágrimas. Não há problema que a criança experiencie seu luto juntamente com seu próprio luto. Você a está ensinando a lidar naturalmente com seus sentimentos quando você não esconde os seus. Quando você pode dizer: “Estou muito triste porque o papai morreu”, “Estou bravo porque mamãe não está mais aqui para cuidar de nós”, você está ensinando um recurso para a criança que irá perdurar para sempre.

Após contar que um ente querido morreu, você precisa explicar o que acontecerá depois, o velório e o funeral.

A criança terá muitas dúvidas. O que ela irá querer saber dependerá de sua idade e experiência prévia com a morte. Geralmente crianças pré-escolares não entendem a irreversibilidade da morte; podem perguntar ”Quando vovó vai voltar?”.

Aproximadamente a partir dos cinco anos crianças começam a entender que a morte é irreversível, mas acreditam que somente pessoas velhas e vítimas de acidentes morrem. Após os 8 anos a criança começa a entender que a morte é parte da ordem natural das coisas e que as pessoas morrem em todas as idades, por diversas razões.

É importante responder as questões o mais simples e honestamente possível. Evite utilizar metáforas. Se você diz para uma criança pequena “O vovô está dormindo para sempre”, por exemplo, ela pode ficar com medo de dormir.

Crianças comumente concluem que de alguma forma causaram a morte. Podem pensar “Eu fui mau, então minha mãe me abandonou”, ou “Eu desejei que minha irmã morresse e isso aconteceu”. Diga que ela não tem culpa pelo que aconteceu.

Reações da criança à perda

A criança pode negar inicialmente que a morte ocorreu. Pode tornar-se agressiva e culpar os demais pela morte, ou ter raiva da pessoa que morreu, por deixá-la. Pode sentir-se culpada por não ter sido “boa” para a pessoa que morreu e ficar deprimida. Ainda que a criança possa aparentemente não estar sofrendo, expressa sua dor de modos mais sutis, como regredir e começar a chupar o dedo, molhar a cama e agir como bebê. Pode ficar hostil com os colegas ou tratar seus brinquedos com violência. Pode desejar ou temer morrer.

Ajudando a criança a lidar com a perda

Como os adultos, a criança precisa entrar em contato com os sentimentos evocados pela morte do ente querido, encontrar uma forma de significar a perda e seguir sua vida.

Seu filho irá tomar o seu exemplo, por isso não tenha medo de expressar seu próprio luto. Chore e deixe que seu filho chore com você. Não diga a ele: “Seja forte!” “Não chore”. Esta é uma situação triste, e a criança precisa expressar sua tristeza.

Converse com seu filho e o encoraje a falar também. Mostre que é permitido falar sobre a pessoa que morreu. Mesmo se a criança for muito pequena para falar sobre a morte, você pode compartilhar seus sentimentos.

O carinho irá confortar a criança que sente a angústia na família, mesmo que ela não entenda o que aconteceu. Crianças cercadas pela tristeza precisam ser reasseguradas de que são amadas.

O funeral permite que as pessoas se reúnam e expressem seus sentimentos. Crianças, como os adultos, precisam dividir sua dor. É uma boa ideia levar a criança ao funeral, mas não a force a ir. Explique detalhadamente como serão os rituais para que ela possa decidir se quer ir e saiba antecipadamente o que irá encontrar. Permanecer todo o tempo do ritual pode ser demasiado para ela.

Lembre que a relação da criança com o falecido não acabou, somente mudou. Após o funeral mantenha fotos e outras lembranças do falecido para conversar sobre elas com a criança. Isto irá ajudá-la a formar um novo tipo de vínculo com a pessoa que morreu.

9 ideias sobre “Como ajudar a criança a lidar com a morte

  1. Parabéns à Escola da Vila por abordar um tema tão importante, e tão esquecido por uma sociedade que penaliza o luto e obriga a um estado de felicidade permanente. Muito esclarecedor e sensível o texto da Dra. Luciana.

  2. Parabéns dra Luciana! Realmente pra mim é muito difícil contar pra uma criança que ela perdeu um ente querido, mas vejo que ,tudo se torna mais fácil quando temos um esclarecimento sobre como agir com esse pequeninos. Parabéns pelo texto, explicação clara.

      • Obrigada vocês pela atenção! Pelo abordamento de um assunto que muitos dos nossos pequenos passam e acabam levando isso para sala de aula, e por falta de informação, não sabemos como agir com esses pequenos em um momento tão sofrido.
        Um abraço

  3. Muito interessante o artigo. Parabenizo a Escola da Vila pela forma como está lidando com esse assunto, em especial com a perda do Lucas. Minha filha não o conhecia mas tem relatado com muita sensibilidade esse assunto, inclusive relatou com detalhes a homenagem feita na segunda-feira e demonstrando empatia ao saber que ele gostava de algumas músicas favoritas dela. Todo o meu respeito a vocês e à família do Lucas.

  4. Olá Daniela Munerato Bom Dia!
    Que artigo esclarecedor!
    Ainda mais hoje, que nós da Escola da Vila passamos por mais um momento de Luto.
    Este artigo é excelente também para nós adultos.
    Obrigada !por me ensinar.
    Aurea

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *