O transporte público como uma opção: deslocamentos favoráveis à aprendizagem

Escola da Vila

-

Por Joana Sampaio Primo

Visitas a museus e viagens de estudo são habituais nas escolas, já que se trata de atividades nas quais os alunos podem aprofundar suas aprendizagens a partir das experiências que o campo proporciona. Na Escola da Vila entendemos que tais visitas são fundamentais na escolarização dos alunos, pois elas permitem um novo envolvimento, seja no campo das Artes, seja no campo das Ciências ou da História.

Os 6ºs anos, por exemplo, estudam ao longo do primeiro trimestre a importância dos recursos hídricos para as sociedades e, consequentemente, as diferentes relações entre o uso desses recursos e o processo de urbanização. Faz parte desse estudo uma visita ao Pateo do Collegio, marco zero da cidade de São Paulo, que conta com uma maquete, croquis e mapas do crescimento da cidade vinculado diretamente ao Rio Tamanduateí e ao Rio Anhangabaú. Ademais, o Pateo do Collegio encontra-se no planalto de tais rios, no qual nossos alunos podem observar, do mirante, a canalização do Rio Tamanduateí. Destacamos, portanto, que a experiência de observar os rios canalizados que eles conhecem nas aulas, de andar do planalto ao vale do rio, possibilita outra apreensão do que está sendo trabalhado. Dessa forma, fica clara a importância que tais visitas têm para os objetivos de aprendizagem escolares.

Escola da Vila

Desde o ano passado começamos a refletir, aqui na unidade Granja, que o caminho até a cidade de São Paulo poderia igualmente favorecer a aprendizagem de nossos alunos. Não é novidade para quem mora na Granja que ir até São Paulo no horário de fluxo é uma tarefa árdua: há muito trânsito, por conta do grande número de carros e pela relativa escassez de transporte público. Assim, se ocorre algum imprevisto, por exemplo, uma chuva, o que já é ruim fica pior ainda. Como dissemos, o transporte público na região em que a escola se encontra também tem problemas, porém pegar o trem na Estação Jardim Silveira para ir até o centro de São Paulo demonstrou-se um deslocamento rico em outras aprendizagens para nossos alunos.

Escola da Vila

Utilizar o transporte público da região metropolitana, além de ser uma experiência que muitos de nossos alunos nunca tiveram, ainda os coloca em contato com os trabalhadores da região que utilizam esse meio de locomoção. No ano passado, por exemplo, quando foram ao Pateo do Collegio, os alunos de 6º e 7º ano tiveram a oportunidade de entrevistar os usuários de transporte público para conhecerem melhor as possibilidades de deslocamento da região e ampliarem seu estudo sobre o entorno da escola.

Além disso, andar de trem possibilita a observação das cidades-satélites de nosso entorno, possibilita entrar em contato com o mercado ambulante dentro do trem e outras situações que despertam a atenção deles, que os coloca em outra posição no interior da cidade. Evidentemente, essa experiência é mediada pelos professores que os acompanham, sensíveis em escutar aquilo que chamou a atenção de todos. E depois poderão continuar abordando esses temas em sala de aula.

A rua, o transporte público e o contato com a cidade de uma maneira menos mediada pelos muros da escola proporcionam uma aprendizagem diferente e tão importante como as visitas a museus. Essas experiências nos fizeram decidir que muitas das saídas que o Fundamental 2 da Granja faz em São Paulo começará no deslocamento deles, o próximo já está marcado: será na última segunda-feira do mês, quando o 6º ano visitará a exposição Rios Descobertos, no SESC Carmo.

Referências:

Visitar museus é conteúdo curricular.

Por que visitar museus e exposições?

Museu e Escola – O que pode essa parceria?

Uma ideia sobre “O transporte público como uma opção: deslocamentos favoráveis à aprendizagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>