E agora? Terei prova de matemática!

Escola da Vila

-

A introdução da avaliação por conceito nos 3ºs anos

Por Amanda B. da Costa Leite e Nancy Serrano Rodrigues,
professoras dos 3ºs anos do F1 da unidade Granja Viana

Em nossa escola, o processo de avaliação formal e a comunicação por meio de boletim e conceito se iniciam de modo gradual no Fundamental 1.

Quando os alunos chegam ao 3º ano, além da diversidade de instrumentos que eram avaliados, são inseridas as provas na disciplina de matemática, tornando-se uma prática frequente nas outras disciplinas a partir do 4º ano. 

“Minha primeira prova foi muito preocupante, mas depois descobri que não é para ter medo.

Ela é um instrumento de avaliação que serve para ver o que você já sabe bem e o que ainda não sabe tão bem.

E descobrir isso ajuda a aprender!”*

O desconhecido causa um certo estranhamento e pode gerar medo.

Muitas vezes os pais ficam angustiados por não saberem como lidar com a situação da primeira prova, talvez porque não tenham tido boas experiências em relação a isso. As avaliações que conhecíamos eram classificatórias e seletivas e não se preocupavam com a progressão e o ajuste do aprendizado.

Os estudantes precisam conhecer as formas pelas quais são avaliados para saber o que o professor espera deles.

Nosso projeto de avaliação consiste em levantar dados relacionados às aprendizagens e aos avanços dos alunos e, a partir deles, construir mecanismos de remediação, de modo que o indivíduo tenha acesso ao conhecimento de outra maneira.

“Na primeira prova vocês vão ficar um pouquinho nervosos, mas não precisa ficar, porque se tirarem B, A ou C, tudo bem!

Vai ser sua primeira prova, e vocês vão estudar até conseguir melhorar!”*

Os momentos de orientação de estudo, as grades de correção e a análise dos resultados auxiliam no encontro de como estudar, além de ser um oportuno espaço para dicas e acolhimentos de dúvidas.

Várias rodas de conversa e outras atividades contemplam o significado dos conceitos (A, B, C, D, E), que passam a fazer parte das aulas, como registro do desempenho escolar expresso por meio de letras.

É no 3º ano que os alunos se deparam com conceitos nas atividades, e é normal desejarem a nota máxima. Mais do que almejar um “A” é mostrar para as crianças o que os conceitos sinalizam: quanto já sabem e quanto precisam se regular para melhorar, no sentido de aprender mais e não para classificar-se como melhor.

“Eu descobri que a prova é uma atividade igual a tantas outras que a gente faz!”*

As provas compõem o processo de avaliação, mas não são determinantes para a atribuição dos conceitos, uma vez que temos por referência outras propostas realizadas ao longo do trimestre. 

A prova de antigamente deixa de ser a única ferramenta servida pelo professor e dá espaço a outros instrumentos que, juntos, oferecem dados sobre a aprendizagem dos alunos.

O erro é visto como fonte de informação, tanto para o professor que analisará a produção e conhecerá a situação do seu aluno, quanto para o aluno que precisará compreender seu erro e avançar.

Portanto, se observarmos a avaliação atual como formativa, a serviço do professor e dos alunos, como um instrumento a ser incluído aos tantos já vistos no 2º ano, será que nossos filhos ainda terão medo da prova?


* Todos os comentários entre aspas foram feitos por alunos mais velhos da Vila para os alunos do 3º ano.

3 ideias sobre “E agora? Terei prova de matemática!

  1. Adorei….muito importante ver o quanto as professoras se empenham, quantas ferramentas de avaliação são consideradas no momento de avaliar o aluno e a preocupação com os sentimentos das crianças, seus medos e inseguranças diante da primeira prova, de como serão vistos pelos colegas, etc….
    Parabéns professoras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>