Rituais, danças e brincadeiras – resgatando aspectos da cultura popular ao preparar a festa junina.

Por Claudia Cavalcanti e Luiza Gaia

Como já sabem, durante os meses de maio e junho nos dedicamos a apresentar a nossos alunos rituais, danças, brincadeiras, comidas e músicas que marcam a festa da colheita, atualmente conhecida como festa junina.

Cada cantinho de nosso país comemora este período de forma bem diversa, são tantas as danças, as comidas, as brincadeiras e os costumes que decidimos organizar aqui na escola um “cardápio” variado com o intuito de apresentar um pouquinho de nossa rica cultura popular. Trata-se apenas de uma introdução com o desejo de despertar o gosto em conhecer nossas tradições e, ao mesmo tempo, valorizar os costumes de nosso povo: o canto, a dança, a comida, o verso, a religiosidade, aspectos que compõem nossa história. Trata-se de valorizar a cultura tradicional popular como elemento importante ao resgate e reconstrução de aspectos que marcam nossa identidade promovendo contato com a produção artística e as manifestações folclóricas.

Para que nossos alunos conheçam a maior diversidade possível de danças e músicas, selecionamos, desde o ano passado, um repertório bem variado que ficará fixo em cada série da educação infantil ao 5° ano do F1.  Nesta escolha, consideramos tanto as características e possibilidades de cada faixa etária, como a diversidade de ritmos ou as variações que determinadas danças e folguedos populares recebem a depender da região onde ocorrem. Ciranda, bumba meu boi, carimbó, danças de roda entre outras e a esperada quadrilha dos funcionários compõem nosso repertório.

O percurso de aprendizagem de cada dança vai sendo marcado por conversas, leituras e apresentações de vídeos que contam as diferenças na coreografia, nas indumentárias, nos versos cantados, na música e nos gestos que a compõem. Assim ao longo dos anos, as crianças passam a perceber que cada região de nosso país possui traços culturais distintos, percebidos na forma como a cultura popular vai se constituindo. Às vezes, uma banda inicia sua apresentação com o mestre cantando, outra com a casaca e com toque de tambor de couro, outra com louvores. Enfim, cada dança representa na verdade os modos de vida das comunidades. Podem falar do mar, da pesca da vida pacata, da briga com o boi, da luta com a seca, entre tantos outros aspectos.

Para nós resgatar a cultura tradicional popular é mais que fazer um dia de festa, é uma maneira de conhecer traços importantes da forma como vive nosso povo.

Uma ideia sobre “Rituais, danças e brincadeiras – resgatando aspectos da cultura popular ao preparar a festa junina.

  1. Acho incrível o “cardápio” oferecido, dá vontade de degustar um pouco de cada!!
    Esse ano avisei a Tete que teria a possibilidade dela acompanhar o pai em um outro programa no dia da festa, caso ela quisesse, mas ela foi categórica na escolha: “Mas mãe, eu não posso faltar na festa junina, eu tenho que dançar! Se não, já pensou, eu ia ter que repetir o 1º ano depois!”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


seis − 1 =

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>