Brincar ou aprender? – O que fazer na Educação Infantil?

Por Lucinha Magalhães

Temos na agenda deste semestre um importante evento destinado aos profissionais que atuam na educação infantil: um Seminário Internacional, que propõe um debate sobre quais são os conteúdos para uma escola de educação infantil de qualidade.

Para os que se perguntam o porquê deste tema, vale contextualizar que há hoje no Brasil uma discussão sobre o que seria tarefa desta etapa. Há quem defenda um currículo para a infância baseado na dimensão lúdica. Há quem sustente que as crianças pequenas desenvolvem suas competências no âmbito de um ambiente sociocultural amplo e mais próximo às práticas sociais cotidianas. Há também aqueles que, em razão da ampliação do ensino fundamental e o ingresso das crianças de seis anos nesse segmento, creditam à educação infantil a responsabilidade por oferecer situações de ensino fortemente didatizadas.

E, você? O que pensa sobre isso? Essas posições são mesmo excludentes?

Pela relevância do tema, para que possamos refletir sobre o peso dessas concepções e sobre possíveis equívocos na relação existente entre o brincar e o aprender, nós do Centro de Formação da Escola da Vila em parceria com a Faculdade Singularidades da Educação realizaremos no dia 15 de setembro, das 8h30 às 12h30, este evento que tem como objetivo ressituar os propósitos, resgatando a identidade da Educação Infantil. Para isso, contaremos com a presença de:

ANA MALAJOVICH – Professora titular da disciplina de Didática do Nível Inicial da carreira de Ciências da Educação da Universidade de Buenos Aires.

MARÍA EMILIA QUARANTA – Psicopedagoga. Professora da Licenciatura no Ensino da Matemática da  Universidade Pedagógica da Província de Buenos Aires.

Tudo isso com a mediação de GISELA WAJSKOP – Diretora Geral Acadêmica do Instituto Superior de Educação de São Paulo – iS – Singularidades.

Fica aqui o nosso convite para que os profissionais de educação que atuam com crianças de três a cinco anos de idade e que preocupam-se com a falta ou o excesso do brincar e/ou com um currículo esvaziado ou inflacionado na sua prática, participem.

Clique aqui e faça já a sua inscrição!

2 ideias sobre “Brincar ou aprender? – O que fazer na Educação Infantil?

  1. Estou distante há muito tempo da educação infantil, mas estive lá por alguns anos da minha vida profissional. A mudança de nome de “pré-escola” para “educação infantil” marcou uma conquista de uma geração que lutou para que este segmento da escolaridade fosse encarado como um período escolar, com demandas de aprendizagem e desenvolvimento próprias da faixa etária. Lutamos para superar a oposição entre recreação por um lado e preparação para o próximo segmento de outro, e fortalecemos uma proposta de uma educação infantil que não apenas considera a capacidade da criança pequena de aprender, mas que acima de tudo, compreende como a brincadeira faz parte estruturante deste processo de aprendizagem. Por isso penso que devamos estar muito atentos para dizer um sonoro e grave: não ao retrocesso!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *