Museu e Escola – O que pode esta parceria?

-

Por Eliane Mingues – assessora da Escola da Vila para o trabalho de visita a museus.

Por que, às vezes, a lua aparece de dia no céu? Do que são feitas as nuvens? Como pode um avião, tão pesado, voar? O que será que move o sangue? Mastiguei, engoli, e agora? Como funcionam os aquecedores solares? O que é mesmo esse tal de desenvolvimento sustentável?

Quem nunca ouviu perguntas como estas vindas das crianças? Quem não tem perguntas como estas das crianças? Ou seja, perguntas e mais perguntas é o que não nos falta; nem na sala de aula, nem no nosso dia-a-dia!

Você já parou para pensar que parece impossível, pelo menos à primeira vista, viver na nossa sociedade, que é pautada por questões da ciência e da tecnologia, sem refletir, por exemplo, sobre a importância das fontes de energia renováveis e seus impactos, sem conhecer os efeitos de algumas substâncias tóxicas na agricultura e dos raios ultravioletas a que somos submetidos diariamente e sem valorizar a importância de cuidar bem do corpo e da saúde para uma vida mais saudável?

Dos fenômenos naturais mais básicos às descobertas mais avançadas da tecnologia, são muitos os mistérios que nos cercam, e tanto as crianças quanto os adultos compartilham muitas destas curiosidades que permeiam o nosso cotidiano. Contudo, essa ciência tão presente e marcante na vida de todos nem sempre é identificada, compreensível e acessível a todos. Para reconhecer essa seara da ciência – sua natureza, sua aplicabilidade, seus impactos e desafios, é preciso uma boa dose de educação.

É isso mesmo! Só uma boa educação científica vai poder contribuir para a formação de cidadãos que sejam capazes de adotar atitudes ainda mais responsáveis, tomar decisões fundamentadas e resolver problemas do dia-a-dia e assim melhorar suas vidas e o mundo onde vivem.

Provocar a curiosidade nos estudantes e na população como um todo, e levá-los a se dar conta do papel que a ciência tem em suas vidas exige, portanto, um trabalho coletivo que envolve a escola, mas vai muito além dela, pressupondo a família, os amigos, a comunidade, os museus e centros de ciência, etc. – como parte dos direitos de conhecer e optar em uma sociedade democrática.

Assim, para além da escola, pode ser bastante determinante o papel que estas instituições podem desempenhar neste contexto. Propor situações nas quais desde cedo se possa vivenciar os fenômenos e suas consequências pode ser uma excelente maneira de aproximar as crianças da cultura científica. Entender os porquês das ciências e da tecnologia pode ser o primeiro grande passo nessa direção e, se for de uma forma divertida e contextualizada, ainda melhor. Será que pode ser nas visitas aos museus e centros de ciências que a cidade nos oferece e onde aprendizagem e divertimento andam juntos, num só programa, a situação em que podemos mergulhar nesses assuntos e, de quebra, sair mais sabidos do que quando entramos lá? Que tal experimentar e contar depois como foi?

Em breve, contaremos aqui a nossa experiência. Aguardem!

2 ideias sobre “Museu e Escola – O que pode esta parceria?

  1. Oba! Agora estou esperando as bacanices das visitas: as falas das crianças, as reflexões das professoras, mais fotos, mais dicas… Bárbaro o trabalho que vocês estão fazendo. Vocês não imaginam como estou feliz de fazer parte de um pedacinho dele, novamente! bj e obrigada

    • Oi Eliane, nós é que temos que agradecer. Contar com a assessoria de alguém que conhece de perto o trabalho da Vila e sabe tanto sobre museus faz com que toda a equipe se sinta segura e confiante para despertar nas crianças o desejo de saber cada vez mais sobre os fenômenos da natureza. Muito obrigada!
      Já estamos postando as histórias das saídas e da SAD. Não deixe de acompanhar.
      Vania

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>