Avaliação

As provas, a composição da nota e as remediações possíveis caracterizam o grau de exigência da Escola. Articulado ao currículo e à metodologia, o sistema de avaliação é um dos fundamentos de um projeto pedagógico exigente e consistente. A atividade intelectual constante do aluno de Ensino Médio deve ultrapassar a mera circulação da informação. Memorizar e responder de acordo com o que foi pedido é um dos aspectos avaliado, mas ele deve ser sempre acompanhado de atividades ora coletivas, ora individuais, em que o aluno deve evoluir autoralmente, traçando seu próprio caminho, ao mesmo tempo em que enfrenta exigências acadêmicas desafiadoras e crescentemente complexas nas diversas disciplinas.

Consideram-se no processo avaliativo todas as ações que favorecem a construção constante dos conhecimentos exigidos: seminários, trabalhos, reflexões, experiências, atividades em duplas ou grupos, atividades de laboratório etc., que, juntamente com as provas trimestrais, compõem a base para a menção final do aluno ao longo dos trimestres escolares. As provas trimestrais, especialmente, vão assumindo ao longo do Ensino Médio um grau de complexidade sempre maior. À medida que os procedimentos para estudar e aprender vão ganhando a consistência necessária ao enfrentamento do Ensino Médio, aumenta também o peso das provas na composição da média trimestral, assim como sua duração.

Nesse segmento, uma das tarefas iniciais da Orientação Educacional é exatamente ajudar os alunos na necessária adaptação a essas novas demandas e exigências. Para os alunos do 1º ano, são desafios comuns a necessária reorganização do tempo fora da escola e sua adequação aos novos procedimentos e exigências de estudo. Nessa transição, a relação com a escola passa a ser de outra ordem. A duração do Ensino Médio é menor que a dos outros segmentos escolares, e o aluno precisa se adaptar a ele no mesmo momento em que enfrenta diversas situações novas. Entre o começo e o fim do Ensino Médio, com uma possível escolha para a continuidade dos estudos e a realização dos exames vestibulares, além de encarar uma nova dinâmica de ensino e aprendizagem, com demandas próprias e específicas, o aluno deve atingir níveis de responsabilidade e autonomia sempre maiores.