O currículo

As disciplinas desta etapa estão agrupadas em áreas: Práticas de Linguagem, Ciências Sociais, Ciências Naturais e Matemática, todas ministradas pelo mesmo professor polivalente, normalmente pedagogo de formação. Já as aulas de Educação Física, Inglês e Artes são conduzidas por professores especialistas.

Práticas de Linguagem

Ler, escrever, falar e ouvir, por diferentes razões e para diferentes destinatários, são propostas recorrentes aos alunos. Participando de situações comunicativas reais, eles produzem livros com textos literários e informativos, organizam recitais e sessões de leitura para pais ou funcionários, compartilham com os colegas de classe suas impressões sobre histórias lidas ou ouvidas, leem textos para pesquisas, registram estudos e compõem notícias para o jornal-mural da escola, entre outras tarefas.

Essas situações são organizadas em projetos didáticos e sequências de produção e de leitura que favorecem a atuação dos alunos como usuários da língua escrita, assim como preservam o sentido social de tais práticas, gerando aprendizagens contextualizadas e significativas.

Ao longo dos projetos e das sequências, os alunos vivenciam os problemas que a produção e a compreensão de um texto impõem a qualquer usuário. Ao ter que lidar e buscar soluções para os problemas de uma produção textual (como a melhor forma de colocar para o leitor o que desejam, a escolha de palavras, a pontuação que dá sentido ao texto etc.), por exemplo, são levados a analisar, discutir, refletir e sistematizar conteúdos da língua – entre eles, as características de vários tipos de texto, a escrita alfabética, a ortografia, a pontuação e os aspectos gramaticais. Nesse percurso, eles também revisam seus textos ou ajustam suas interpretações, o que lhes permite atribuir maior sentido ao conjunto de conteúdos tematizados.

Ao longo das séries do Fundamental I, ampliam-se os desafios e as exigências das propostas de leitura, escrita e oralidade para que, gradativamente, os alunos tenham um maior domínio sobre a língua e sejam usuários cada vez mais competentes desta.


Matemática
Algumas das propostas que fazem parte da rotina dessa área: ler e escrever números com propósitos e funções diversas, calcular mentalmente, por “conta armada”, ou estimar, decidir que tipo de cálculo usar nas diversas situações (mental, escrito, exato, aproximado), que operação usar para resolver problemas, em que momento usar a calculadora etc.

Sabemos que, antes mesmo de entrar na escola e na Educação Infantil, as crianças já pensam e constroem conhecimentos sobre o “mundo matemático” que as rodeia, e é a partir desses conhecimentos que se desenvolve o trabalho: apresentam-se situações desafiadoras, que envolvem a resolução de problemas, nas quais elas podem colocar em jogo o que sabem e confrontar hipóteses e estratégias de modo a refletir e a discutir acerca de diferentes conteúdos.

Nessas situações, pedimos que expliquem as diferentes formas de resolução encontradas para um mesmo problema, considerando a pertinência das estratégias adotadas. As crianças precisam ainda convencer seus colegas ou ser convencidas por eles, sempre por bons argumentos. Assim, seguem aprendendo conteúdos matemáticos e construindo uma maneira própria de pensar, fazer e produzir conhecimento nessa área.

Ao longo das séries do Fundamental I, ampliam-se o trabalho com o sistema de numeração, as operações e suas propriedades, e também a exigência das propostas, para que, gradativamente, os alunos tenham um maior domínio sobre estratégias de cálculo e resolução de problemas que envolvem operações, medidas e geometria, e possam atuar socialmente aplicando esses saberes.


Ciências Naturais
Nessa área, os conteúdos são organizados em torno dos conceitos estruturantes de classificação, transformação, matéria, energia e ambiente. Os temas envolvem conteúdos de Biologia, Física, Química, Astronomia e Geociências, e promovem uma aproximação sistemática com esses conceitos estruturantes, o que garante que os alunos sigam aprendendo Ciências em profundidade ao longo de sua escolaridade. Enquanto desenvolvem atividades de experimentação e pesquisa, os alunos se aproximam do fazer científico, aprendendo, por exemplo, a fazer experiências simples e a registrá-las, a apresentar uma ideia, a defender um ponto de vista, a formular e refutar hipóteses.

As aulas contam também com o laboratório de Ciências da escola como espaço privilegiado para experimentações.


Ciências Sociais
Nas aulas de Ciências Sociais, os alunos entram em contato com diferentes assuntos históricos, geográficos, antropológicos, econômicos, políticos e sociais, cujo estudo está organizado em projetos e sequências de atividades. Como nesta área não há pré-requisitos definíveis com clareza, a organização curricular da escola prevê aproximações sucessivas dos alunos aos principais conceitos e conteúdos da área, tais como os conceitos de Estado, sociedade, governo. Concebe-se que os alunos têm condições de, a cada novo trabalho relacionado a um tema diferente, aproximarem-se desses conceitos e conteúdos de referência de forma mais elaborada, mais profunda e diversa.

O trabalho da Escola na área de Ciências Sociais está intimamente relacionado aos desenvolvimentos e aprendizagens dos alunos em Língua Portuguesa. Dessa forma, ao lerem e escreverem textos da área, os alunos reconhecem aspectos que são característicos da construção de conhecimento na área de Ciências Sociais, assim como mobilizam e enriquecem aprendizagens sobre leitura e escrita de textos informativos em geral.


Arte
O trabalho de Arte envolve criação e conhecimento, com propostas que articulam prática artística, apreciação e reflexão.

Os alunos frequentam semanalmente a oficina de Arte, com aulas de uma hora, em grupos pequenos. Essa organização garante um acompanhamento individualizado e a constituição e a integração do grupo.
O espaço e o mobiliário da oficina permitem diferentes configurações, favorecendo a mobilidade dos alunos e a troca de ideias.

Um professor especialista propõe situações apropriadas aos diferentes grupos, com desafios ligados à experimentação e à apropriação de conhecimentos em desenho, pintura, colagem, escultura, instalação, fotografia, gravura, performance e vídeo. Ao longo da escolaridade, os alunos pesquisam procedimentos e descobrem possibilidades de criar novas formas de concretizar ideias.

Queremos expandir o campo da arte buscando diálogos entre as linguagens visual, verbal, corporal e musical. Se o estudo permitir, os alunos podem pintar e bordar, cantar, dançar e recitar, como fazem, por exemplo, no 1º ano, quando estudam arte popular brasileira.

O planejamento anual de cada série prevê também ações voltadas para o hábito de visitar museus e instituições que favoreçam a construção de valores em relação aos diferentes espaços que tornam viva a cultura. Ao longo da escolaridade, procuramos organizar saídas que dialoguem com os projetos de cada série, além de propiciar que os estudantes conheçam diferentes locais na cidade.


Inglês
Na Escola da Vila, o ensino da língua inglesa começa na Educação Infantil e se organiza como em todas as outras áreas do currículo, apresentando, ao longo das séries, situações de aprendizagem de que o aluno possa participar eficiente e criticamente, seja como leitor e escritor ou como falante e ouvinte.

Há três aulas semanais, em que se alternam todo o grupo e a classe dividida, com o que se busca garantir um melhor desenvolvimento das diferentes competências linguísticas no novo idioma.


Educação Física
A Educação Física também começa na Educação Infantil, mas só a partir do 1ª ano as aulas são dadas por um professor especialista, ampliando-se progressivamente um trabalho que procura tratar todos os aspectos da cultura corporal. O aluno aprende a conviver em grupo, a ter direitos e deveres particulares, a lidar com vitórias e derrotas, a ultrapassar barreiras e a enfrentar limites.

Além das aulas regulares, a Escola da Vila tem um Departamento de Esportes que promove, para alunos a partir dos 9 anos de idade, treinamento esportivo em handebol, futsal, voleibol, basquetebol, tênis e escalada. Outra modalidade presente desde a Educação Infantil é um curso livre de Capoeira.