Currículo e Metodologia

O currículo da Escola da Vila se organiza como uma espiral, em que os conceitos aparecem muitas vezes ao longo dos anos, com grau crescente de complexidade. Privilegiam-se a compreensão e o aprofundamento, e a memorização é vista antes como um instrumento da aprendizagem.

As situações de aprendizagem são sempre significativas e, quando possível, integram projetos mais envolventes. O desafio de produzir algo a ser utilizado em situações reais faz com que os alunos se sintam desafiados a se apropriar do conhecimento e motivados a investigar, arriscar, revisar sua produção inúmeras vezes, para garantir que a qualidade de seu trabalho se aproxime ou até supere as formas socialmente aceitas. Entre outros recursos, as sequências didáticas são atividades organizadas segundo as possibilidades de compreensão dos alunos, o que garante que estabeleçam o máximo de relações possíveis entre os conteúdos, resultando em conhecimento real.

As situações escolares são vivências importantes que trazem muitos conhecimentos além dos disciplinares. Enquanto os alunos aprendem, por exemplo, a somar, estarão também aprendendo a trabalhar em equipe, a compreender que há muitas formas para se resolver um mesmo problema, que é preciso perseverar e que, sem esforço intelectual, o aprendizado é mecânico e temporário. Isso implica, muitas vezes, uma organização e distribuição dos conteúdos acadêmicos distinta da tradição escolar, em que há uma sequenciação linear, seguida de insistentes exercícios de memorização.

O senso comum distingue o método de ensino dos conteúdos ensinados, isto é, acredita-se que os tópicos curriculares são comuns a todas as escolas e o que difere é a forma como são ensinados, mas, na Vila, além dos conteúdos regulares do currículo convencional, há grande preocupação com os procedimentos de estudo, que precisam ser bem ensinados para que os alunos possam seguir estudando com autonomia e competência. Tanto quanto os conteúdos estritamente disciplinares, integram nosso currículo resumos, pesquisas, seminários, leitura de textos teóricos, análise de imagens e filmes, domínio de diversas linguagens etc.

A escolha do sistema de avaliação decorre da metodologia, de modo que ela começa antes mesmo da atividade de aprendizagem, estando presente durante o trabalho com os alunos e também ao final do processo. A cada conteúdo, definem-se (1) o que os alunos devem aprender e (2) os critérios de avaliação, ou os indicadores de que eles aprenderam.

Ao planejar as situações de ensino, o professor faz propostas coerentes com critérios predefinidos, o que lhe permite acompanhar o grupo e cada aluno. Com a ajuda desses instrumentos, também avalia o próprio planejamento, que pode ajustar a fim de garantir que os alunos sigam aprendendo o conteúdo desejado enquanto aqueles que encontraram dificuldade para compreendê-lo se dedicam também a ações específicas.

Essa condução do processo avaliativo permite ao aluno saber o que se espera dele e o que precisa fazer para aprender. E garante também que, ao longo do tempo, o aluno se responsabilize cada vez mais por sua própria aprendizagem. Para tanto, a partir do Ensino Fundamental, promovem-se autoavaliações sistemáticas, por meio de instrumentos muitas vezes criados juntamente com os próprios alunos.

A comunicação formal das avaliações para os pais é feita ao fim de cada trimestre, nos boletins informativos, mas os alunos já têm a medida de seu desempenho durante o próprio processo de aprendizagem.

Essas opções curriculares e metodológicas caracterizam o projeto pedagógico da Escola da Vila como uma proposta muito exigente e rigorosa, posto que o aluno deve produzir e aplicar seu conhecimento a inúmeras situações-problema, ou seja, pode-se afirmar que os alunos aprendem a aprender.