Biblioteca, casa de borboleta

Por Fernanda Passamai Perez

Quem é aluno da unidade Morumbi da Escola da Vila e visitou a biblioteca no último mês sabe que a biblioteca recebeu hóspedes. Quando retornamos do Carnaval estavam lá, lindas e protegidas em seus abrigos: duas crisálidas.

Na semana anterior, notamos um grande número de lagartas circulando pelas escadas, banheiros e biblioteca. Fizemos de tudo para deixá-las no jardim, não teve jeito. O ambiente acolhedor e as histórias contadas e comentadas nas rodas de biblioteca foram irresistíveis essas duas.

Apesar de sabermos tratar-se de crisálidas (ou pupa), um dos quatro estágios da metamorfose (transformação) desses insetos, não sabíamos se eram borboletas ou mariposas. Aos poucos, através das pesquisas nos livros da biblioteca e observações, fomos entendendo um pouco melhor nossas discretas e silenciosas hóspedes. Descobrimos que, independente de ser borboleta ou mariposa, elas já haviam passado pela fase do ovo (1ª fase), quando ficaram todas juntas na planta que ia alimentá-las na próxima fase: lagarta. Nesta fase, as lagartas (2ª fase) saem de seus ovos (eclodem) e correm para se alimentar.

Ah, sabe do que eu lembrei? … da história Uma lagarta muito comilona (A very, very hungry caterpillar), de Eric Carle. 

Lembra, como ela comeu, comeu, comeu até … até encher bastante a barriga e depois teceu seu casulo (3ª fase). Sabe por que elas fazem isso? Porque quando ela sai de seu casulo, ela não come mais nada. Nadinha de nada.

Depois que ela sai do casulo é aquele surpresa…bem, voltando para as hóspedes, para nós seria uma grande surpresa: borboleta ou mariposa? Pois, apesar de todos os esforços de professores, biólogos, alunos e curiosos (eu) ninguém sabia dizer o que sairia daqueles casulos.

Mas duas coisas a gente sabia, a 3ª fase de pupa durava em média 20 dias e já podíamos sugerir nomes para elas. Então, a data prevista para o “parto” ficou estimada para 13 de março, sexta-feira. Fizemos uma urna para receber as sugestões.

Na segunda –feira, dia 16 de março,  observamos que a pupa restante – uma delas desapareceu misteriosamente – estava vazia. Buscamos por todos os cantos da biblioteca. Nada. Só no dia seguinte, avistamos duas lindas borboletas na escada. Ah, vocês deve estar pensando:  mas como sabem que são borboletas?

Porque, agora, fora do casulo, pudemos observar melhor o padrão das suas asas e pesquisar novamente. E, tchan…tchan…tchan… trata-se de borboletas Brassolis astyra, da família das Ninfalídeos/Brassolinae !!!!

A borboleta recém-saída do casulo, abrindo e secando as asa

Agora sim, após sua carinha e belas asas, podemos então escolher uma nome para  ela. O que vocês acham? Abaixo a relação de nomes sugeridos por vocês:

1. ALINE
2. ARIAYL
3. BIA
4. BIRBD
5. BORBOLETA-LETA
6. BUTTERFREE
7. CHICO
8. CLARA
9. CRISEIDA
10. DOUGLAS
11. FERNANDINHA
12. JOUE
13. JUCO
14. LEO
15. LETA
16. LIKA
17. LOLA
18. LOLI
19. LUA
20. LUARA
21. LUCIA
22. LULU
23. LULUBELA
24. MARI
25. MARIA LAURA
26. MARIPOSA
27. MARIPOSA-MARI
28. MAURINHO
29. MEL
30. MOTHER
31. NINA
32. RAFAEL
33. REX
34. RURS
35. SAFIRA
37. SOFIA
38. SOL
39. STEFANO
40. STONS
41. TUTURITU
42. VENOMOTH

Agora é com vocês! Para votar, deixe um comentário, ali no balãozinho.

Até mais!


PARA SABER MAIS:NetNature: Guia de identificação de campo para lepidópteros de São Paulo. Disponível em: https://netnature.wordpress.com/2013/08/13/guia-de-identificacao-de-campo-para-lepidopteros-de-sao-paulo/

Agência de informação Embrapa: Fauna de Lepidópteros do bioma cerrado. Disponível em: https://www.agencia.cnptia.embrapa.br/Agencia16/AG01/arvore/AG01_81_911200585235.html

Deixe uma resposta