Avaliar para ensinar a aprender

30_03_2015

A professora Alicia Camilloni em palestra de abertura do programa ZDP 2015.

Por Zélia Cavalcanti

No início deste mês, mais precisamente no texto Ano a ano… de grão em grão, eu dizia que em 2015, entre outras coisas, voltaríamos a discutir Avaliação com as escolas associadas ao Programa ZDP.

Agora, iniciada essa programação, retorno ao tema para dizer que essa escolha − derivada da percepção de que havia nas escolas parceiras, assim como na Escola da Vila, a necessidade de retomar e aprofundar a reflexão sobre esse tema central aos processos de ensino aprendizagem −, se mostrou bastante adequada.

O número expressivo de educadores inscritos para as jornadas ZDP 2015 evidencia que eles sabem das transformações ocorridas na gestão dos conteúdos, no tempo e nos espaços de aprendizagem escolar nas últimas décadas. Incluem, necessariamente, um olhar mais cuidadoso e reflexivo sobre os procedimentos e instrumentos que vêm utilizando para analisar, qualificar e comunicar os processos de construção de conhecimento vividos pelos alunos, para eles e suas famílias.

Por isso, nos organizamos para incluir na programação do ano autores reconhecidos no mundo acadêmico por suas inestimáveis contribuições à construção de boas respostas para essa inquietação pedagógica.

A professora Alicia Camilloni – professora titular emérita da Faculdade de Filosofia e Letras da Universidade de Buenos Aires − atendeu ao nosso chamado e aceitou vir a São Paulo, em duas datas, para palestras na comunidade ZDP e para encontros com a equipe da Escola da Vila.

Foi ela que, na palestra do dia 14 de março, primeiro enriqueceu nossa reflexão ao “nos avisar” de que a avaliação influencia mais a aprendizagem do que o próprio ensino, pois a forma como se é avaliado determina a forma como se estuda, o tempo dedicado ao estudo e o compromisso que assumimos com essa atividade.

Em função desse ponto de vista, a professora Alicia considera fundamental que ensino e avaliação aconteçam como tarefas realizadas em conjunto, com o objetivo de melhorar a aprendizagem e qualificar o aprendido. Segunda ela, quando essa integração acontece, a avaliação deixa de ser vivida pelo aluno como instrumento de qualificação e comparação, separada do processo de ensino, e abre caminhos para que possa ser percebida como um conjunto de procedimentos que lhe oferece suporte e lhe permite ampliar sua capacidade de aprender, ao mesmo tempo em que aprende sobre suas formas pessoais de construir conhecimento.

Assim, com essas ideias, afinadas com o que vimos aprendendo da leitura dos escritos de Charles Hadji − ele também convidado para uma das jornadas do ano −, as equipes das 38 escolas participantes do ZDP 2015 iniciaram a revisão das bases teóricas e metodológicas utilizadas até então, o que permitirá uma análise das propostas e instrumentos de avaliação que têm utilizado.

Temos a certeza de que, com a continuidade das discussões em São Paulo e no Ambiente Virtual de Aprendizagem, durante as três jornadas que ainda ocorrerão este ano, os 150 profissionais inscritos (63 nas jornadas presenciais e 87 nas jornadas online) construirão boas condições para contribuir com o desenho de um conjunto de propostas de Avaliação que atualize, para esse conteúdo pedagógico, o projeto de suas escolas.

3 ideias sobre “Avaliar para ensinar a aprender

  1. Olá! Sou mãe de alunos da Escola da Vila há muitos anos( Julia Barboza, formada em 2008 e Gabriel Barboza, atualmente no 8º C) . Estou iniciando uma experiência profissional bem desafiadora, como professora de um curso de Medicina recém criado, que trabalha com metodologia PBL. Sendo assim ,muito me entusiasma acompanhar este tipo de discussão que vcs estão trazendo aqui , sobre tema tão desafiador, a avaliação. Como saber mais? Abçs e parabéns pela iniciativa, Marcia

    • Olá Marcia

      Se desejar participar das discussões que a comunidade ZDP iniciou agora em março e continuará a realizar durante o ano, poderá se inscrever pessoalmente ( sem vinculaçao com uma escola) no programa. Mas se desejar apenas se aproximar mais de autores de referência para o tema, sugiro que procure o livro “Avaliaçao Desmistificada” de Charles Hadji; cujo qualidade fez com que as últimas edições de esgotassem e que por isso, embora possa haver algum exemplar “perdido”em alguma pequena livraria, talvez seja mais fácil encontrar em sebos.
      Abraços
      Zélia

      • Ótima dica, Zélia! Estou na caça do livro, porque me interessou muito ! E quem sabe uma hora apareço numa das reuniões! Obrigada, abraço
        Marcia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *