Uso de material digital na escola

Por Helena Mendonça e Vania Marincek

Temos vivido uma situação, cada vez maior, de uso de materiais digitais na Escola da Vila. Dispositivos móveis cada vez mais acessíveis a grande parte dos jovens e crianças; melhoria gradativa e lenta da velocidade de acesso à internet; possibilidade de uso de ferramentas que antes estavam na mão de profissionais, são apenas alguns dos motivos desse movimento. Muitas escolas ficam entre a compra de conteúdo digital de grandes editoras, o uso tanto daqueles que são gratuitos quanto o desenvolvimento de outros dentro da instituição. São enormes os desafios em qualquer uma dessas empreitadas: repensar o material didático para o meio digital, avaliar o impacto de uso de tais materiais na escola, desde sua infraestrutura até a formação dos professores, ter pessoal capacitado para selecionar materiais, avaliá-los e organizá-los, acompanhar seu uso pelo aluno etc.

No fim de 2015, a escola decidiu iniciar o movimento de criação de cadernos pedagógicos digitais para as séries iniciais do ensino fundamental 2, bem como iniciar essa implantação com as turmas de 6º e 7º ano da nova unidade, na Granja Viana.

4

Para elaborar esse novo material digital, usamos, por referência, os cadernos pedagógicos já existentes para o trabalho em sala de aula, cuidando para adaptá-los, e, muitas vezes, transformá-los para o novo suporte. Assim, desde o primeiro dia de aula deste ano, os alunos das duas turmas estão usando os cadernos digitais, bem como alguns ambientes virtuais de aprendizagem, para o trabalho educacional.

Ainda é muito cedo para avaliarmos todo impacto causado por essa mudança, mas tentaremos, aqui, listar alguns aspectos observados.

Infraestrutura é fundamental

5

Essa constatação é absolutamente sabida por todos que se propõem a trabalhar com tecnologia na escola. O maior uso de dispositivos pessoais, materiais digitais, ambientes virtuais na escola, tudo isso exige boa infraestrutura. Para tanto, são fundamentais um bom planejamento e o investimento gradativo em frentes como suporte técnico, acesso à internet e compra de equipamentos. Se o caminho da escola é por um modelo BYOD (Bring Your Own Device) ou cada aluno traz o seu equipamento, o investimento na rede wi-fi é fundamental. Esse foi o caminho escolhido por nós e, além de implantarmos uma boa infraestrutura na Escola, preocupamo-nos também em planejarmos propostas a serem utilizadas com os alunos no caso de algum imprevisto, como a ausência de rede ou de luz.

Segurança digital, outro tema importante da infraestrutura

Quando a escola opta por um modelo no qual os alunos trazem os seus próprios aparelhos para a instituição, é necessário um amplo planejamento para garantir que haja segurança no acesso à internet. A escola deve ter mecanismos que garantam o bloqueio de sites inadequados e também de sites ou serviços que possam sobrecarregar a rede (não se pode prejudicar o trabalho educacional). São decisões importantes a serem tomadas: as redes sociais serão bloqueadas? Os alunos conseguem acessar conteúdos importantes para o trabalho? Os jogos serão bloqueados? É importante levar em consideração que existe uma gama enorme de jogos online e muitos deles podem ser usados com fins educacionais.

6

Outro aspecto relacionado a isso, mas com caráter mais educacional, é o trabalho a ser desenvolvido com os alunos para que não se dispersem, às voltas com todas as possibilidades que o acesso à internet traz. As crianças e os adolescentes de hoje são usuários muito competentes de tecnologia, mas ainda sabem pouco sobre esse uso para além do lazer; assim, é natural que o primeiro movimento dos alunos seja o de buscar os jogos e os sites de divertimento, já conhecidos por eles também no momento de aula. Por isso, desde o início do ano, temos encaminhado, junto aos alunos, em muitas aulas, e, mais especificamente, nas aulas de Orientação Educacional, a discussão e o debate sobre as possibilidades de uso que a tecnologia promove, e as adequações para uma postura que contribua para a formação de cada um desses alunos como estudantes. As assembleias têm sido um espaço bastante profícuo para a discussão e a construção dessa cultura.

Toda equipe pedagógica deve conhecer o material e os ambientes usados

Os procedimentos de estudo dos alunos só podem ser acompanhados e avaliados se toda equipe pedagógica conhecer o funcionamento técnico dos materiais e ambientes virtuais usados. Um aluno com problemas de organização, por exemplo, pode atribuir sua dificuldade a alguma questão técnica; se a equipe estiver pronta para ajudá-lo, pode-se voltar o foco para a falta de organização, que possivelmente aconteceria com ou sem o uso de tecnologias. Nesse sentido, foi muito importante que toda a equipe estivesse familiarizada com o material digital desde o início do ano, pois isso possibilitou o planejamento de intervenções no sentido de ajudar os alunos a entenderem todos os procedimentos necessários para o uso diário, já na primeira semana de aula.

A dinâmica de trabalho com o digital altera o trabalho educacional

7

Isso não é novidade, mas é algo que exige tempo e reflexão por parte da equipe pedagógica. Tomar a decisão, por exemplo, de que não haverá mais caderno de papel para que o aluno faça anotações, requer pensar em como o aluno e o professor poderão acessar esse caderno, como serão feitas as anotações – texto, imagem, desenho, se/como esse caderno poderá ser acessado se não houver internet etc, e definir procedimentos padrões para todas as disciplinas. É importante aqui retomar o porquê do uso do caderno e a importância das anotações pessoais, antecipando aspectos dessa situação, agora em meio digital, que podem impactar os estudos. Com relação a isso, na escola já contávamos com um trabalho bastante específico e detalhado de orientação de estudos que visa contribuir para que cada aluno desenvolva procedimentos importantes para seu desempenho escolar, o que temos notado é que a organização do material na forma digital pode contribuir para esse trabalho, pois ajuda a organizar as propostas de forma mais orgânica e completa, já que é possível inserir links, desenhos, tabelas etc, com muito mais facilidade.

O acompanhamento do uso do material é fundamental

Se o uso de tecnologias na escola tem o objetivo de aprimorar os processos de ensino e aprendizagem, melhorar a forma como o aluno e o professor aprendem e ensinam, ampliar a diversidade e a qualidade de materiais consultados, dentre outros vários objetivos, o acompanhamento é fundamental para que as estratégias aplicadas pelos professores e os procedimentos empregados pelos alunos estejam alinhados com essas frentes; por isso, estamos acompanhando, passo a passo, essa implantação com observações em sala de aula e espaços sistemáticos de discussão sobre os principais sucessos e problemas para que os ajustes ocorram em consonância com o trabalho.

Os alunos se apropriam rapidamente das tecnologias

8

Não estamos falando nada de novo, já que os alunos nasceram com toda essa tecnologia disponível, não é verdade? Em termos. Os alunos normalmente fazem uso das tecnologias para entretenimento. A apropriação de ferramentas e ambientes para o trabalho educacional acontece na escola. É certo que o funcionamento dos recursos normalmente não apresenta muitas dificuldades, mas os procedimentos de estudo, a organização, continuam sendo desafios para os alunos, principalmente levando em consideração a faixa etária com a qual estamos trabalhando: 6º e 7º ano do ensino fundamental 2. Esses procedimentos já seriam desafios naturalmente, visto que muitos alunos de início do F2 necessitam de um apoio específico para se organizar com tantas demandas distintas das do F1. Sabendo disso, desde o início, fizemos um trabalho de acompanhamento da apropriação dos procedimentos pelos alunos que passou por um percurso de orientação para: o uso dos materiais em sala de aula, o acompanhamento individual dos alunos que precisaram de mais ajuda pela orientação, e a parceria com as famílias.

Os pais precisam conhecer o trabalho

Os pais, em sua maioria, não cresceram com as tecnologias digitais e, menos ainda, usaram esse tipo de material na escola. Se um dos elementos mais importantes da aprendizagem é o estudo em casa (parte fundamental do trabalho do estudante) e se considerarmos importante o apoio das famílias, principalmente em determinadas faixas etárias, os pais devem compreender minimamente como o material funciona, como os ambientes são acessados, onde estão as lições de casa, como seu filho acessa a agenda e organiza seus estudos. Para garantir que os pais pudessem também apoiar seus filhos em casa, procuramos orientar esses responsáveis individualmente e também em reunião de pais, apresentando o trabalho, solicitando que entrassem no caderno pedagógico digital e nos ambientes virtuais usados, ensinando-os também a acessar os recursos utilizados por seus filhos, como a agenda, as lições de casa e o caderno digital de anotações.

Estamos ainda no início desse processo de implantação, mas a rápida apropriação dos procedimentos de estudo pelos alunos, assim como a boa equação da gestão do tempo em sala de aula e da utilização dos instrumentos de apoio ao trabalho, fazem-nos acreditar que estamos trilhando um bom caminho.

4 ideias sobre “Uso de material digital na escola

    • Olá Augusto,

      Todas as atividades para pais são comunicadas por email. Se você não estiver recebendo nossos emails, peço que entre em contato com a secretaria para confirmar o seu endereço eletrônico.
      Obrigada.

Deixe uma resposta para Helena Andrade Mendonça Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *