Formandos do Ensino Médio: experiências no mundo do trabalho

Por Susane Lancman, diretora do Ensino Médio e Paula Blanco, auxiliar de orientação do Ensino Médio

Os “começos” geralmente são momentos importantes: início da vida, início de relacionamentos, início escolar. Cada um deles exige cuidados especiais. Da mesma forma é preciso cuidar dos “finais”, como no caso de formandos dos 3os anos do Ensino Médio. Afinal, depois de 12 anos de escolaridade obrigatória, chega o momento do FIM. É preciso acolher as demandas dos alunos relacionadas a essa fase e ajudar a prepará-los para a nova etapa.

O processo de finalização dessa etapa é composto por quatro focos: escolha da carreira acadêmica, preparação para os exames externos, atividades de despedida e organização do evento de colação de grau. Cada um deles é composto por uma série de atividades. Em relação à escolha da carreira acadêmica, uma delas é a proposta de “estágios” de modo que os alunos tenham uma pequena vivência no mundo do trabalho.

Vale dizer que as atividades voltadas para a escolha da carreira acadêmica têm como foco a escolha do curso universitário, mas a vivência no trabalho pode ajudar. Assim, no início do ano listamos todas as famílias do Ensino Médio que podem receber alunos em seus ambientes de trabalho. Em pequenos grupos, de acordo com o interesse dos alunos, são organizadas essas vivências no mundo do trabalho: hospitais, consultórios, empresas públicas, indústrias… Alguns alunos não quiseram participar dos estágios por diferentes razões, já outros solicitaram que tivessem mais experiência, o que esperamos que aconteça com os alunos travando contatos para realizarem outras experiências semelhantes.

Essa vivência é uma grande oportunidade para que os alunos se aproximem da rotina profissional, o que fomenta mais inquietações e dúvidas, mas também apazigua outras; mobiliza mais fantasias e desejos, e também cria outras, além de ampliar seus repertórios de escolha.

São muitos os fatores que influenciam nesse complexo processo, tais como: competências, habilidades, interesses, história de vida, percurso escolar, desenvolvimento social e afetivo com sua gama de subjetividades, e é no cruzamento destes que se dá a escolha. Além disso, é preciso considerar que a mesma variável interfere no processo de forma diferente em cada indivíduo, por essa razão a interação entre os alunos é tão importante, pois permite trocar pontos de vista e vivências. Dessa forma, há discussões acaloradas sobre a importância da aprovação dos pais e amigos nessa escolha, se o reconhecimento social ou status é algo relevante, se o retorno financeiro deve ser ou não um fator a considerar, e mais tantos outros questionamentos que habitam o universo da escolha da carreira universitária. 

Alguns alunos se mostram extremamente inquietos e angustiados nesse processo de escolha, questionam a razão de não terem uma vocação. Se por um lado querem ter a liberdade de escolher, por outro se sentem inseguros, assim a ideia de uma vocação como algo predeterminado poderia trazer um acalanto. Discutimos esse conceito de vocação a fim de que os estudantes percebam que o ser humano é biologicamente indefinido no que diz respeito à vocação, sendo necessária uma busca no mundo interno e análise do mundo externo para se tomar uma decisão sobre a escolha da carreira acadêmica. Sem dúvida, o medo de escolher errado, o medo de não conseguir escolher, o medo de não saber escolher, tudo isso está presente.

As atividades de orientação da escolha da carreira acadêmica (OECA), que inclui estágio, visitas às universidades, conversas com ex-alunos, apresentações de professores universitários, tentam ajudar nessa travessia que inclui sair da Escola da Vila e chegar a uma outra margem que ainda não se sabe exatamente qual é. Para que parte dessas travessias pudessem ser compartilhadas, foi criado um mural real no prédio do Ensino Médio e um mural virtual no Padlet com depoimentos em vídeo e texto.

Caso queira conhecer a experiência de estágio de uma aluna que mudou de ideia do que cursar,  clique aqui e leia seu depoimento

Caso queira conhecer a experiência de alunas que se encantaram pelo estágio, clique aqui.

Caso queira conhecer as experiências de um aluno no serviço de psicologia de um hospital particular e no setor público , clique aqui.

Assista ao depoimento de um aluno que conta de dois estágios que fez na área de geografia.

Assista ao depoimento de uma aluna que conta sobre a experiência no Instituto de Doenças Tropicais.

Fica o convite, a você leitor, para que deixe seu depoimento de parte da sua travessia no que se refere à escolha da carreira universitária.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *