Semana de provas: estudar onde? Em casa, na escola ou no facebook?

Por Sônia Barreira

Organizar todas as provas numa única semana já é uma tradição em muitas escolas, especialmente para os alunos maiores de Fundamental 2 ou Ensino Médio. Para nós, da Vila, nem sempre foi assim. Anos atrás, isso nos parecia uma estratégia contraditória que levava o aluno a estudar mais num determinado período letivo e não frequentemente, como gostaríamos. Com o tempo, nos convencemos das vantagens dessa organização.

Para os alunos, é possível concentrar o período de preparação para as provas sem a “concorrência” das aulas regulares, que requerem atenção a novos conteúdos.  Para a escola, de modo geral, a semana de provas  facilita muito todos os procedimentos complementares que acompanham a avaliação trimestral: prova, correção, atribuição de notas, média, escrituração no diário de classe e portal, tirar a planilha completa, fazer conselho de classe, obter informações, analisar resultados, comunicar às famílias, encaminhar casos individuais (Ufa!).

Os pais, em casa, podem identificar com clareza a chegada desse importante período letivo: os alunos se reúnem para estudar em subgrupos, há alteração da rotina, do humor e da disposição de todos.

Mas, um novo e interessante aspecto dessa etapa é a movimentação dos alunos no facebook. Em meio a todas as conversas, troca de fotos,  vídeos e comentários habituais, encontram-se novos procedimentos de estudo coletivo.

Não é raro encontrar  solicitações de resumos  para estudos;  a troca de provas de anos anteriores (como se fosse uma espécie de mercado negro do saber); e outras ações  que as novas tecnologias favorecem como a busca de apoio dos colegas na solução de problemas não compreendidos, da eliminação de dúvidas não identificadas a tempo,  da obtenção de informações perdidas. Inauguram assim, uma nova e surpreendente maneira de estudar.

Para se ter uma ideia da potência desta situação de estudo, um exemplo emblemático: para a questão postada no facebook por um aluno de 1º ano  (alguém pode me explicar  porque a narrativa de Meville é realista?) foram postados 371 comentários que buscavam responder e relacionar as possíveis explicações às informações veiculadas em sala de aula!

Já os mais velhos, identificaram rapidamente a possibilidade de fazer isso no ambiente virtual da escola, e construiram espontaneamente espaços de debate sobre as questões mais difíceis de várias  disciplinas na semana de provas. Outros ainda, organizam grupos fechados no próprio facebook para discutir temas e testar coletivamente a redação de possíveis respostas à perguntas complexas (com permissão restrita a alunos, mesmo com a insistência de alguns adultos  “bicões” e curiosos como esta que vos escreve!)

Assim, nós pais, precisamos também de novos procedimentos, pois nem sempre é o caso de repreender o filho que naquela semana tensa de estudos, parece distrair-se por muito tempo nas redes sociais! É preciso considerar a possibilidade de que estejam de fato dedicados aos estudos naquele ambiente virtual. Mas lembrem-se: é só uma possibilidade!

12 ideias sobre “Semana de provas: estudar onde? Em casa, na escola ou no facebook?

    • Obrigada Márcia, observamos todos os dias novos procedimentos de nossos alunos nem relação às novas tecnologias e nem sempre sabemos o que fazer com elas. Outro exemplo que lembrei: alguns têm solicitado para filmar com seus celulares a exposiçâo oral do professor para poderem ver novamente em casa com mais calma. Mas o uso do celular na sala é proibido. E agora?

  1. Adorei. Tomando o ditado “quando vamos com a vara eles já vem com as castanhas” é maravilhoso reconhecer que eles “colhem as castanhas” a seu modo mesmo que uma boa “vara” lhes seja oferecida. Precisamos contar essas novidades para uns amigos espanhoes interessados no tema. Alias vou encaminhar o link do post para eles.

    • Isso Zélia, e quando eu me lembrar de outros usos espontâneos que fazem ou querem fazer das novas tecnologias, eu posto de novo. Veja a resposta que dei para a Márcia, lá eu conto outro uso interessante que eles querem fazer a gente ainda não consegue deixar!

      • Por isso sou a favor de permitir e regulamentar o uso do celular em sala de aula. Além de promover e incentivar a utilizaçao de todos os novos “utilitários” digitais em atividades escolares a serviço do ensino e da aprendizagem.

  2. Adorei o texto. Tenho acompanhado as conversas no facebook, os links entre face e EAD da Vila – p.ex. o fórum da Dora – e as participações dos professores e alunos nos dois ambientes. Que bom que os alunos não estão sozinhos nestes espaços. E que bom que esta movimentação está acontecendo de forma tão natural.

  3. Interessante este tipo de comportamento dos nossos filhos. Seria muto bom poder acompanhá-los sem ser intrussivos. Tem algum grupo da escola no Facebook do qual possamos participar? Muito boa postagem!

    • Os grupos que conheço são apenas aqueles criados pelos alunos para estudar. Ontem tinha um de História e hoje tem um de Química que está bastante agitado, com a participação do professor e tudo o mais. Como eles diriam: está bombando, mas é só para alunos!

  4. Sônia, sabe aquela expressão o poder transformador da educação? A minha filha, Mariana, que entrou este ano na Vila, é a personificação disso. Ela passou a gostar mais de estudar, de aprender, de descobrir. A Vila abriu uma janela com vista para o mar e para um lindo horizonte.
    bjs e obrigada,
    Andrea

  5. Nossa Andréa!!! Ficamos todos aqui muito felizes com esse comentário, sabemos no entanto, que grande parte disso tudo se deve à própria Mariana que recrutou tudo o que tinha internamente para o processo de adaptação na nova escola, disposta a gostar e a se envolver. Que tudo isso prossiga bem!

  6. Eu como aluna gostaria de dizer que temos vários grupos fechados em que além de matéria escolar, combinamos coisas para o fim de semana, fazemos vários tipos de votações sobre todos os tipos de coisa. Acho que além destes grupos ajudarem muito em relação a escola, ele faz com que cada vez mais sejamos um grupo e cada vez mais nos aproximamos uns dos outros. A tecnologia esta se tornando cada vez mais importante para uns, porém para muitos estes grupos atrapalham, posso perceber que muitos se dispersam dos estudos no Facebook (eu por exemplo). O EAD seria o ambiente perfeito para isto, porem nele não podemos ser tão liberais quanto no Facebook, além disso é muito bom poder explicar a matéria “informalmente” e nao ficar preocupado com formalidade como ficamos no EAD. Eu particularmente acho que este grupo foi muito bom para mim, com ele pude aprender com meus colegas, e ensina-los. Em relação a gravar a aula, acho que não é preciso grava-la com celulares e sim com gravadores apenas. Isto seria muito bom, pois assim não seria mais necessário ficar voltando a aula para perguntar coisinhas “desnecessárias”, além disso permite que você “registre” a matéria apresentada em aula de uma maneira muito mais complexa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *